25 de mai de 2015

Versos em Segredo

               I
Aquele olhar sereno;
Quem sabe insano,
Cor esplendida, sombreado,
Mas com o brilho de um anjo.

Aquele olhar cativo;
Que me faz imaginar,
Me tirando do lugar
Na qual antes deveras estar.

Aquele olhar sedutor;
Que causa bastante furor,
Se faz tornar presente
Passado, futuro e ausente,
Os sinônimos e adjetivos do que é o amor.

Aquele olhar singelo;
Tão encantado, quanto belo.
Se torno á vê-lo em outros braços
me embaraço no teu laço,
Perco a cabeça em teu espaço.

Aquele olhar, que sem querer
Fala mais do que devia;
Quem imagina que um dia
Eu possa tê-lo em meu ser.

             II
Aquele olhar que satisfaz,
Que traduz a minha paz,
Me tirando do alento,
Me pegando desatento
E entregando-me ao capataz.

Aquele olhar que me estrangula,
Me faz gemer, gritar, sangrar,
Ao mesmo tempo me traz um sorriso
Um sentimento indeciso
(Não vou dizer o seu nome)
Mas dá vontade de os roubar.

Se eu morresse sobre esses olhares,
Se ao menos ficasse nos falares,
Nos ditos populares,
Que um dia estive à lhes amar.

Mas enquanto meu findar não chega,
Me apresso para vê-la.

Entregar este papel que te fará refletir,
Não te obrigo à pensar em mim,
Nem tão pouco imaginar,
Que enquanto esses olhos brilham
Vendo meu poema em versos
Em ti, estou à pensar.


 -Josyallenn Tavares
Share:

0 comentários: