15 de abr de 2015

Desejo Proibido

Quando me desalento em tua ausência,
A saudade clama e aflora uma abstinência.

Quando o meu corpo toca o teu
Sinto algo que não se perdeu.

Meu corpo treme e deseja mais
Te ver naquele momento ou depois, tanto faz.

Só de te ver ao longe sinto algo me remexe,
No meu estômago, nervosismo, logo tudo me estremece.

Quando sinto o teu abraço dá vontade de ir além,
Mas como não nos é permitido, eu fico aqui, sem.

Os seus olhos de avelã, os seus lábios doce mel,
Quando os sinto tocar minha pele, se dissipa todo fel.

Quando sinto o teu cheiro como os lírios num jardim,
Queria me ter em teu corpo, e o teu corpo junto à mim.

Mas não é nos permitido pelo poder do destino,
Quem sabe só futuramente, não me tenhas só como amigo.

Mas não nos é permitido, por causa da escolha que foi feita,
Mas beijar o teu colo, abraçar-te ao teu corpo deleitoso,
Disso nunca te farei desfeita.

-Josyallenn Tavares

Share: