23 de set de 2012

Quando a vida me sorrir,
Poderei dizer eu, que sou feliz?
Poderei eu dizer, que meu espírito se completa?
Poderei eu dançar, a dança das mil e uma noites?
Saberei eu como cantar...
"Besame, besame mucho..."
Pois meu tempo se estimou
Aqui parte mais uma alma
Aqui vai mais uma lágrima,
Aqui, onde nunca existiu
Sequer uma dor.


Share:

16 de set de 2012

Minha


Adormeço na escuridão da noite de seus cabelos,
Vago pelas esquinas do seu corpo,
Por entre cada rua que adentro em teu ventre
Me perco e logo me vejo
Assim, meio contente...
Meio homem, meio besta...
Meio meu, completamente seu,
Meio, fora, beirada, dentro...
Sentindo-se completamente
E inexistente na dança dos seus olhares.
De repente me vejo em lugares
No qual não deveria estar...
Nem poderia se quer olhar,
Você diz: venha... tome, tenha!
E eu digo, caro ‘amigo’
Se isso não for amor, que morra,
Se isso não for, corra!
Do contrário, venha e se detenha em meus braços
Estou aqui, pronto, esperando o ‘grande final’...

Share:

8 de set de 2012

Às Vezes

Às vezes poderia ter sido você
Só às vezes, você poderia não ter que me deixar só...
Às vezes me sinto como ninguém

Às vezes quero estar com alguém... ‘A...’
Sendo que às vezes nem vezes tem
Sem chances de poder voltar
Sem chances para poder recomeçar
Sem chances de te ouvir dizer
Que você me ama mais, do que eu amo você... 
Share: